Pedagogia do Oprimido

A pedagogia do oprimido deve proporcionar dispositivos para desvelar possibilidades de esperança, superando obstáculos e barreiras na vida pessoal e social. O utópico só será possível por meio da práxis libertadora, partindo da reflexão-ação. A democracia, a liberdade e a justiça são processos a serem conquistados com respeito e diálogo.

O ser humano é um ser molhado de história, onde todos os meios e relações o afetam, da mesma maneira que ele também os afeta. É necessário proporcionar que cada indivíduo possa se perceber como é afetado, e aumentar sua capacidade de também afetar o mundo, para intervir nele, numa luta pela verdadeira democracia. As chamadas minorias, na verdade são a maioria, e o caminho para se assumirem como maioria está em trabalhar as semelhanças entre si, não somente as diferenças.

A pedagogia do oprimido é feita com o oprimido, numa luta incessante de recuperação de sua humanidade, fazendo da opressão e de suas causas objeto de reflexão, possibilitando seu engajamento necessário na luta pela libertação, se fazendo e se refazendo. A luta pela libertação é coletiva, é feita junto com os que querem libertação, todos são sujeitos neste processo.

O educador não pode se colocar na posição ingênua de quem se pretende ser o detentor de todo saber, deve antes, se colocar na posição humilde de quem sabe que não sabe tudo. O diálogo humanizador está no encontro de seres humanos com humildade e com fé nas pessoas, na possibilidade de se fazer e refazer, criando e recriando sua vocação de ser mais, uma fé com criticidade mas que funde-se no amor e na confiança.

Não há neutralidade na prática educativa, portanto devemos ter a escolha de que lado estamos, quais ideais somos a favor e quais discordamos. A ação educativa acontece na convivência, uma relação entre o conteúdo a ser ensinado e os anseios de cada um. Há diferenças entre o educador e o educando, o trabalho educativo não deve partir de suas preferências culturais, mas pode interagir com elas reconhecendo-se todos os participantes.

A educação é uma experiência criadora, quem aprende é o sujeito que cria seu próprio aprendizado, e não de quem é teleguiado. A prática de ensinar e de aprender deve se dar num clima de boniteza e alegria, numa liberdade com limites éticos.

(25/08/10)

0 comentarios:

Postar um comentário

Sobre as citações

As citações expostas nesta página têm por único objetivo promover e difundir valores culturais e conhecimento, muitas pessoas não teriam acesso de outra maneira a este tesouro cultural pertencente a toda humanidade. De nenhuma maneira se pretende obter algum benefício financeiros por meio disto, e se algum autor ou compositor, representante legal ou contenedor de direitos considera que a exposição de algum material em particular afeta seus direitos de autor, peço que comunique a fim de proceder a remover qualquer link, obrigado.

Facebook